O IMD é uma ferramenta elaborada pelo MISAU, em colaboração com parceiros que define padrões de qualidade de atendimento serve para iniciar, fortalecer, monitorar ou avaliar o atendimento e a resposta que e dada aos casos de violência baseada na género que são atendidos nas unidades sanitárias. Este documento apresenta-se como uma  lista que pode ser usada na forma física e eletrónica que permite a identificação de pontos fortes e fracos das US, definir ações chaves, identificar necessidades de recursos, classificar o desempenho das US, identificar as boas práticas, ou seja, é um instrumento para supervisão e formação em serviço.


Neste curso, com duração máxima de 20 minutos, teremos uma visão detalhado do instrumento e como é que ele pode ser usado.

O MISAU tem criado oportunidades e soluções para melhorar a qualidade de prestação de serviços de saúde para vítimas de VBG

A Tuberculose (TB) é uma doença antiga que continua sendo um problema de saúde pública a
nível global e nacional. É uma das principais causas de mortalidade no mundo apesar de se tratar
de uma doença curável e prevenível.
A TB na criança geralmente é um alerta para a presença de um adulto ou adolescente com
Tuberculose na comunidade, uma vez que nas crianças a TB geralmente é transmitida por um
adulto ou adolescente que tem um contacto próximo com a criança.
Moçambique é um país com alta carga de TB, TB/HIV e TB Multiresistente. De entre as acções
adoptadas pelo País para o controlo da Tuberculose em crianças, destaca-se a estratégia de
rastreio de TB em todos contactos segundo caso índice e o rastreio de TB em todas portas de
entrada de pediatria incluindo enfermarias. Uma vez que os sintomas da tuberculose na criança
são inespecíficos e assemelham-se a outras patologias da infância, adoptou-se a estratégia do uso
de algorítimos clínicos padronizados e a adopção das novas tecnologias para o diagnóstico que
são mais sensíveis para populações paucibacilares como as crianças (apesar de não serem 100%
específicas). Desde 2017, o tratamento da TB infantil é mais amigo das crianças graças ao uso
de formulações pediátricas, porém ainda é um desafio o tratamento da TB resistente onde ainda
não existem doses fixas combinadas e a maioria dos medicamentos não tem formulaçoes
dispesíveis disponíveis.
De modo a alcançar o seguimento e monitoria da criança com TB e das crianças contacto de TB
é necessário o reforço da capacidade técnica do País. É neste contexto que o Programa Nacional
de controlo da Tuberculose desenvolveu este pacote de formação de abordagem e manejo da TB
infantil para Profissionais de saúde nomeadamente médicos e outros técnicos de saúde que
prestam cuidados de saúde a criança.